-

A Câmara Municipal de Alta Floresta está realizando obras importantes, como a reforma do estacionamento externo e passeio público, divisão de salas internas, construção de uma nova sala de arquivo e construção de um banheiro para portadores de necessidades especiais (PNE). A obra está sendo executada pela Construtora Apolo Comércio e Serviços.

Com prazo de execução previsto para ser concretizado em 60 dias, a obra custará R$ 157.727,27 (cento e cinquenta e sete mil, setecentos e vinte e sete reais e vinte e sete centavos) e segue tabela Sinfra/MT (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso) e está abaixo do valor de mercado.

De acordo com o memorial descritivo, todos os ambientes que receberão reforma, a parede frontal externa do prédio, bem como a marquise da fachada frontal serão pintados. Ao todo serão construídos mais de 1.400 metros de contrapiso de concreto armado no estacionamento externo, com mais de seis centímetros de espessura.

Depois de pronto, além de melhorar a acessibilidade, o novo calçamento do estacionamento externo será adequado de acordo com a legislação de trânsito, com a pintura das vagas para estacionamento de veículos, e inclusive as vagas preferenciais serão demarcadas com pintura acrílica.

O banheiro para portadores de necessidades especiais está sendo construído anexo ao banheiro masculino já existente no Plenário e receberá portas específicas para PNE, pintura e revestimento. Já a sala de arquivo terá mais de 16 metros quadrados e está sendo construída anexa ao estacionamento interno.

Com a construção de um novo calçamento, a Câmara Municipal de Alta Floresta resolve um problema antigo, pois o estacionamento não tinha um piso adequado e estava completamente deteriorado, com várias erosões e inclusive oferecia risco principalmente para pedestres e ciclistas, além de dificultar o estacionamento de veículos.

O presidente Emerson Machado, do PMDB, destacou a importância da obra. “A calçada da câmara estava totalmente quebrada, já teve acidente aqui na frente, uma idosa quebrou o joelho, outra senhora caiu e machucou o tornozelo. Então, a prefeitura e a câmara têm que dar o exemplo para o comércio. A nossa calçada, além de feia e mal projetada, estava toda destruída”, observou.

Para que a obra saísse do papel, o presidente disse que foi preciso economizar. “Tive que fazer vários ajustes pra poder fazer essa economia, porque aumentou dois vereadores e o orçamento (de 2017) era o mesmo do ano retrasado (2016). Fizemos economia durante o ano inteiro pra sobrar esse dinheiro pra fazer a calçada, um banheiro PNE, uma sala para o almoxarifado e a pintura da câmara que será feita, então, não é só a calçada. Foi muito difícil conseguir fazer esta licitação. Foram cinco licitações, vários empreiteiros vieram, mas quando pegavam a planilha desistiam por causa do valor muito baixo. Não é a câmara, o presidente, que coloca o valor da obra, nós temos uma tabela da Sinfra que temos que seguir”, explicou.

“É uma obra que vai embelezar nossa cidade, que o comércio siga esse exemplo e faça a sua calçada. Espero que aqueles que estão falando mal olhem primeiro, venham ver o que está sendo feito na Câmara, como está sendo feito e o valor de tudo, porque realmente o valor está muito abaixo do preço de mercado”, frisou o Presidente ao ressaltar que uma das prioridades de sua gestão é oferecer cada vez mais um espaço que visa melhor atender a população.

Fonte: Da Assessoria

-

O Vereador Adenilson Rocha (PSDB) esteve na obra da Creche Sebastião de Mattos para averiguar o andamento da construção iniciada em 2011, na gestão do então prefeito Juarez Costa, com primeiro prazo de entrega estava marcado para 2012, porém a obra ficou parada por vários anos. Em plena campanha eleitoral, a atual prefeita fez o compromisso de aumentar o número de vagas das creches. Uma solução seria terminar as obras, mas até então a obra não foi entregue.

No início do ano passado a secretária de educação disse que as creches seriam entregues em agosto.  “As creches em suas organizações podem ser entregues até agosto de 2017, a prefeitura investiu 80% do total das obras de recursos próprios e os outros 20% estamos aguardando do Governo Federal, quando esse recurso sair, as obras serão finalizadas”, disse a secretária.

“Precisamos resolver o mais rápido possível esta situação que se arrasta há anos. A população, principalmente as mães de crianças que moram nos bairros vizinhos a creche, não podem pagar o preso da morosidade desta ou da administração anterior. Vamos fiscalizar e cobrar para que a creche seja entregue ainda este ano, pois é grande a demanda de crianças que precisam de vagas”, disse Adenilson.

A novela das creches de Sinop se arrasta desde 2011 com o início das obras na gestão do então prefeito Juarez Costa.  Em dezembro de 2016 Juarez oficializava a conclusão de três novas unidades que haviam sido iniciadas em 2011, e até colocou placas de inauguração.  Segundo o mesmo, as unidades educacionais estariam atendendo já no início de 2017, porém após um ano a realidade é outra.

A atual prefeita, Rosana Martinelli, que recebeu apoio de Juarez, não conseguiu cumprir com o compromisso com o ex-gestor.  Para quem vê o prédio por fora acredita que a obra está pronta, mas os últimos reparos como instalação elétrica, bancadas e limpeza, impedem que a tão sonhada  creche comecem a funcionar como previsto pelo ex-prefeito Juarez.

Fonte: Da Assessoria

-

Um pequeno trecho de estrada de chão na MT-220, na ponte do Rio Sucuri (próximo a um acampamento de sem terras), tem causado grandes transtornos a viajantes e transeuntes nesta semana.

O local em questão, é um pequeno trecho de cerca de mil metros, que ficou sem pavimentação asfáltica, devido a ponte de madeira ainda não ter sido substituída por uma de concreto.

Com o período das chuvas, o pequeno trecho chegou a ficar intransitável esta semana e atrasou a viagem de veículos coletivos e transporte de vários motoristas que chegaram a ficar mais de 24 horas parado no local devido a atoleiro que se formou.

Na última sexta-feira dia 12, os maquinários da empreiteira responsável pela obra de pavimentação no trecho já realizavam o trabalho de recuperação no local, para liberar totalmente o transito. Caminhões carreados ainda encontram dificuldades para trafegar pelo local.

A pavimentação asfáltica na MT-220 avançou nos últimos anos, durante o governo de Pedro Taques, e tirando esse local na ponte, restam somente 65-km entre o trevo de Tabaporã e o trevo de Novo Paraná em Porto dos Gaúchos para serem pavimentados.

No entanto, o trecho que falta está precário neste período chuvoso, e quem precisa fazer o trajeto de Porto dos Gaúchos para Sinop, tem que enfrentar até mesmo quase o dobro de horas habitual na estrada.

A recuperação desse trecho, com abertura da estrada e cascalhamento, vem sendo uma luta constante da câmara de vereadores de Porto dos Gaúchos, encabeçada pelo presidente vereador Nolar Soares, haja vista que a boa qualidade da estrada vai beneficiar não somente o município, mas todos os demais da região.

Parcerias já foram propostas pela prefeitura local a Sinfra-MT, porém não houve sinalização positiva por parte do governo do estado para início dos trabalhos de recuperação, que melhorariam as condições do trecho enquanto não for pavimentado.

-

Por Assessoria de Imprensa

As oitivas feitas pelos vereadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a prefeita de Juara Luciane Bezerra (PSB), acusada pelo Ministério Público Estadual de fraudar licitações, dará uma pausa devido ao recesso do Poder Legislativo e retornará com seus trabalhos em fevereiro.

Vários servidores da Prefeitura Municipal já foram ouvidos na investigação e nesta quarta-feira, dia 20 de dezembro aconteceram às quatro últimas audiências de 2017; foram ouvidos o coordenador de serviços urbanos, Carlos Nunes, o presidente da comissão de licitação, Antônio Mota, a coordenadora de fiscalização de contratos, Flávia Cavichiolli e o secretário de cidade, João Candido de Oliveira.

“Terminada essas oitivas vamos fazer um relatório prévio dos documentos das licitações da empresa de coleta de lixo Ainda não definimos se o relatório prévio será apresentado aos demais vereadores ou deixaremos tudo para o final. Agora, entraremos em recesso e retomaremos os trabalhos em fevereiro. Serão selecionadas outras licitações para serem analisadas pela CPI” pontuou a presidente, vereadora, Ulliane Macarena.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) investiga dispensas de licitações para contratação de empresa para prestação de serviços de coleta de lixo e serviços de limpeza urbana, de empresa de agência de publicidade para prestação de serviços de produção de imagens em foto, vídeos, textos, áudios e entrevista institucionais e veiculação em mídias como rádios, tv, sites, jornais, panfletos e serviços de internet em atendimento ao gabinete.

Duas cartas convites para prestação de serviços de locação de palco, sonorização, iluminação, tendas, locução e animação para realizar eventos comemorativos do carnaval de 2017, em atendimento à secretaria municipal de comércio, indústria e turismo (SECITUR). A outra contratou fornecedor do ramo para fornecimento de peças para manutenção da frota de veículos e maquinários da secretaria de transportes e divisão de urbanismo.

Fazem parte da CPI, os seguintes vereadores: Ulliane Macarena (PMDB), presidente, Eraldo Markito (PR), secretário, Salvador Pizzolio (PRB), relator e Hélio Castão (PPS) suplente.

 

-

Por Assessoria de Imprensa

A Câmara Municipal de Alta Floresta aprovou por unanimidade, na tarde de sexta-feira (15), durante a 32ª Sessão Extraordinária, já no recesso legislativo, a redação final do Projeto de Lei nº 1.932/2017, de autoria do Poder Executivo Municipal, que dispõe sobre a Lei Orçamentária Anual (LOA) do município. A peça orçamentária estima uma receita de R$ 150.185.360,00 (cento e cinquenta milhões, cento e oitenta e cinco mil, trezentos e sessenta reais) para o exercício financeiro de 2018. Na mesma sessão também foi aprovado o Projeto de Lei nº 1.925/2017 e sua redação final, também de iniciativa do Executivo, que dispõe sobre a Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO) de 2018.

Emendas parlamentares

Foram apresentadas na comissão de fiscalização e acompanhamento da execução orçamentária cinco emendas à LDO e seis emendas à LOA, por parte dos vereadores, no entanto, para deliberação do plenário foram apresentadas somente oito emendas, tendo em vista que algumas já haviam sido contempladas no procedimento de modificação regimental do projeto apresentado pelo Executivo Municipal. A redação final da proposta foi encaminhada para sansão do prefeito Asiel Bezerra de Araújo.

Orçamento 2018

O orçamento de 2018 foi aprovado com a previsão de crescimento de mais de 7% em relação ao orçamento de 2017, que conforme a Lei Municipal nº 2.349/2016 foi de R$ 139.350.000,00 (cento e trinta e nove milhões, trezentos e cinquenta mil reais). A peça orçamentária prevê que mais de 80% dos R$ 150.185.360,00 – R$ 120.330.360,00 – sejam destinados à administração direta, com destaque para a Educação, com R$ 42.882.000,00 (quarenta e dois milhões, oitocentos e oitenta e dois mil reais), seguido pela Saúde, com R$ 25.210.000,00 (vinte e cinco milhões, duzentos e dez mil reais). O montante destinado para a administração indireta, no caso para o Instituto de Previdência de Alta Floresta (IPREAF), totaliza R$ 29.855.000,00 (vinte e nove milhões, oitocentos e cinquenta e cinco mil reais).